Pressão baixa: conheça os sinais e saiba como tratar

Para alguns indivíduos, a pressão baixa pode ser um sinal de saúde, já que a hipertensão coloca mais pressão no coração e no sistema circulatório. Por esse motivo as pessoas que apresentam hipotensão possuem um menor risco de doença renal, acidente vascular cerebral e doenças cardíacas.

Entretanto, em alguns casos a pressão baixa pode não representar uma condição saudável. Quando ocorrem quedas do fluxo sanguíneo de forma súbita ou é a principal causa de sintomas como desmaios e tonturas, pode sinalizar um problema de saúde, devendo ser investigada.

Neste artigo vamos comentar sobre os sinais da pressão baixa, os riscos que ela pode apresentar e os tratamentos indicados. Continue lendo para saber mais!

Como a pressão arterial funciona

A pressão arterial reflete a intensidade com que o fluxo sanguíneo passa pelas artérias. Sua medição é expressa em milímetros de mercúrio (mmHg), sendo composta por dois tipos de medida: a sistólica e a diastólica.

A pressão sistólica (maior medida) refere-se à intensidade do fluxo sanguíneo quando o coração bombeia o sangue. Já a diastólica (menor medida) indica o fluxo sanguíneo entre cada batimento cardíaco — quando ele está relaxado e se enchendo de sangue.

Dessa forma, quando uma pessoa apresenta pressão sistólica de 120 e uma diastólica de 80, dizemos que ela está com pressão arterial de 120/80, ou ainda, “12 por 8”. A pressão arterial é considerada normal quando é igual ou inferior a 140/90 mmHg.

Riscos da pressão baixa

As alterações provocadas no organismo pela queda da pressão, podem apresentar alguns riscos, como desmaios, danos a órgãos vitais e impedimento de diagnóstico de doenças de base, conforme comentamos a seguir.

Desmaio por falta de oxigênio

A falta de oxigênio pode causar desmaios, principalmente quando a pessoa está sentada ou deitada e se levanta rapidamente. Essa situação é geralmente referida como hipotensão ortostática.

Danos a órgãos vitais

Os órgãos vitais, como o coração e cérebro podem deixar de receber sangue suficiente para o bom funcionamento e com isso sofrerem danos permanentes.

Impedimento do diagnóstico de doenças de base

A hipotensão pode ser um sintoma de diversas desequilíbrios, como desidratação e insuficiência cardíaca, além do risco de sofrer acidentes por desmaios.

Causas da pressão baixa

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, a pressão é considerada baixa, quando os valores são iguais ou inferiores a 9 por 6 mm/Hg. Ela pode ocorrer devido a diversos fatores, mas algumas doenças induzem o seu aparecimento, como embolia pulmonar, infarto, alterações na tireoide e diabetes.

Além disso, algumas situações podem favorecer a queda da pressão, como reações alérgicas, medicamentos, gravidez, falta de vitamina B2 e ácido fólico, entre outros problemas de saúde.

Sintomas da pressão baixa

Em geral, independentemente da medição da pressão arterial, os médicos não costumam diagnosticar uma pessoa com hipotensão, a menos que ela apresente, além de pressão inferior a 9 por 6 mm/Hg, outros sinais associados à condição, como:

  • batimento cardíaco rápido ou irregular;
  • cansaço;
  • confusão;
  • falta de concentração;
  • fraqueza;
  • náuseas e vômitos;
  • perda de energia;
  • pele fria e pegajosa;
  • respiração ofegante;
  • sentir mais sede do que o habitual;
  • tonturas, vertigens ou desmaio;
  • visão embaçada.

Tratamento da hipotensão

Em geral, a pressão baixa não é grave — mesmo as tonturas ocasionais podem ser um problema pequeno, como uma leve desidratação. Mas é importante ficar atento aos sintomas e manter a pressão arterial sob controle.

O tratamento para a pressão baixa é simples e depende basicamente da adoção de hábitos saudáveis, como o aumento de ingestão de líquidos, adequação de dieta, revisão de medicamentos consumidos e prática regular de exercícios físicos.

Como vimos, a pressão baixa pode não ser um motivo de preocupação, mas também pode sinalizar a presença de alguma doença. Nesse sentido, é importante observar os sintomas e buscar ajuda médica, caso um ou mais desses sinais sejam constantes.

Gostou deste artigo? Então, complemente os seus conhecimentos, lendo mais um post em nosso blog e saiba como ter uma boa saúde!